Artigo 02 – Começando no Mini-z!

 

Estou de volta pra escrever o segundo artigo que na verdade deveria ser o primeiro…. Vamos discutir hoje como começar no Mini-z!

Você acaba de comprar o seu primeiro Mini-z, ou de ser chamado pelos amigos pra conhecer a categoria numa pista, e todos começam a falar 595 coisas diferentes… Off-set, MM, pinhão de 8 dentes, T-Plate, Sports, VE, ASF… E fica mais perdido ainda quando olha o equipamento que o pessoal coloca em cima da mesa… 3 tipos de rádios, rodas, pneus, bolhas, chaves philips, alen, ferro de solda e uma caixinha com trocentas peças que você não faz ideia do porquê de estarem lá. Vamos tentar hoje entender como funciona o básico do Mini-z, e o que você precisa ter para começar no Hobby com o pé direito, mas mantendo os dois rins em seus locais originais e funcionando.

  • Kit Iniciante:

Recomendação:

  • Kit MR03 Sports
  • 2 packs ou mais de baterias
  • Carregador (depende do seu orçamento, recomendo a leitura do artigo sobre baterias)
  • Chave philips de boa qualidade – Pode ser uma Tramontina daquelas de cabo verde, com a ponta preta (imantada). Verifique a medida que mais se encaixa e adquira uma.
  • Alicate de bico
  • Pinça (as peças e parafusos são minúsculos, pode ser muito útil)

A recomendação atual para os iniciantes no Hobby é o MR03 Sports, que já vem pronto para rodar, necessitando apenas de 8 baterias AAA (4 para o rádio e 4 para o chassi). Vamos entender o porquê?

Hoje a Kyosho é a principal marca nesta categoria, e seus carros emplacaram de tal forma que há fabricantes de peças e upgrades e campeonatos regionais e mundiais, tudo girando em cima destes chassis denominados Mini-z. A escala é 1/27, então qualquer coisa perto disso ou que seja compatível com as bolhas de Mini-z pode ser utilizada para iniciar no Hobby. Há escolhas mais baratas, e mais caras… algumas podem te trazer dor de cabeça, então vou tentar passar um pouco das tendências e de como está o hobby hoje, em 2015.

A Kyosho atualmente fabrica vários tipos de chassis em categorias diferentes nesta mesma escala. Temos carros de tração dianteira (MR-03), Tração nas quatro rodas (AWD – All Wheel Drive), F1, Buggy, Overland (suspensão elevada, com bolhas de SUV), moto (sim, moto… e é bem divertida!)

Como começar? A imensa maioria dos clubes no Brasil e no mundo fazem competições na categoria de tração traseira. Os chassis MR-03 são os mais atuais, então em uma breve história da evolução dos Mini-z, temos:

MR01 AM (fora de linha):

02-01

Este chassi foi o primeiro produzido pela Kyosho. A frequência utilizada era a AM 27Mhz, e vários conceitos utilizados neste chassi ainda continuam sento usados nos chassis mais atuais, como o montante traseiro que mudou pouco, alimentação por 4 células AAA e a placa integrada, contendo receptor, ESC e placa controladora de servo que apresenta motor, engrenagens e salva-servo montadas diretamente no chassi.

MR015 AM (fora de linha):

02-02

Esta é a primeira evolução da Kyosho, melhorando consideravelmente a caixa de engrenagens do servo e a disposição da barra de direção, que pode ser trocada sem ferramentas, além de novo desenho de montante de motor, da suspensão dianteira por king pin, com novos upgrades, mas mantendo a geometria de câmber fixo.

MR-02 (fora de linha):

02-03

Este chassi teve como principal inovação a disposição das baterias, que passou a ser mais próxima ao chão. Isso possibilitou uma melhora considerável no Centro de Gravidade (CG), deixando as corridas mais fluidas e com menos capotamentos.

MR02 ASF (fora de linha):

02-04

Neste modelo foram mantidas as características mecânicas do MR-02 e foi introduzida a placa 2.4Ghz ASF (Auto Selected Frequency), que elimina os cristais e permite que até 40 carros corram no mesmo ambiente. O método de pareamento é simples (consta nos manuais) e é possível a utilização do ICS (plugue)para ajuste dos parâmetros de aceleração, velocidade de resposta de servo, entre outros).

MR-03 ASF (Fora de linha)

02-05

 

Neste chassi, notamos a nova suspensão dianteira com câmber variável, com molas na parte central do chassi e não mais no king pin. Essa nova suspensão melhora o desempenho nas curvas, e permite uma série de configurações de ajuste de câmber e cáster com upgrades disponíveis no mercado. As células de bateria também estão mais próximas do centro, o que diminui a largura total do chassi, melhorando o desempenho em trocas rápidas de direção (centralização do CG) e fazendo-o compatível com bolhas de MR-01 e MR-015 que não entravam no MR-02 por serem muito estreitas. Para isto, o chassi de MR-03 vem com peças sobressalentes para montar a frente configuda para (N) Narrow – estreita, ou (W) Wide – larga. Este termo é muito usado entre os hobbystas para obter informações quando adquirem novas bolhas.

MR03 Sports FHSS (em linha – ESCOLHA PARA INICIANTES!)

02-06

Checamos ao MR03 Sports, em que a Kyosho alterou a placa utilizada para baixar o custo de produção. Este chassi não tem alterações mecânicas, mas traz uma placa com modulação 2.4Ghz FHSS, o que a torna incompatível com o rádio KT-18 utilizado na linha ASF.

Este carro é comercializado atualmente na versão Ready Set, ou seja, vem chassi, bolha, rodas, pneus, mini kit de ferramentas básicas para pareamento, troca de pinhão e rodas e um rádio KT-19. O manual ensina como fazer pareamento, resetar o rádio, centralizar as rodas e todos os ajustes que podem ser feitos.

Como o custo é reduzido e este carro pode ser competitivo sem grandes alterações, é uma escolha adequada para iniciar no Hobby, pois quando sentir necessidade, consegue passar este chassi para outro iniciante e pegar um ASF que atenda sua evolução!

Atualmente no Brasil há uma categoria especial para este chassi, sendo permitidas poucas alterações, de forma que a competição seja saudável e o mais nivelada possível, para incentivo de novos adeptos ao Hobby.

MR03 VE ASF (Brushless – Em linha)

02-07

Esta é a evolução natural esperada para a categoria. Para este chassi, foi mantida a parte mecânica, e introduzido o motor brushless, com mais potência e maior autonomia. Pelo fato deste motor não ter sensores (sensorless), o modelo apresenta COG nas arrancadas, ou seja, a a arrancada é meio truculenta no início, mas há ajustes do ICS que podem minimizar estes efeitos.

MR03 VE PRO (Em linha):

02-08

Esta é a última versão, que pode ser utilizada tanto com rádios atuais como com o novo rádio EX-6, que utliza a o protocolo MHS (Mini-Z Hybrid Spread Spectrum), proporcionado uma resposta 4x mais rápida quando comparado ao ASF com Rádio KOPropo EX10 Euros e 16x mais rápida que quando utilizado com o rádio KT-18.

Concorrentes:

Hoje temos diversos concorrentes e fabricantes dos chamados “chassis aftermarket” como o AMZ da Atomic, o PN2.5 da PN Racing (utiliza bolhas wide e placa própria com frequência 2.4Ghz Spektrum), MRCG (fora de linha), entre outras opções no mercado.

Você pode encontrar no mercado alguns carros da marca Firelap (AM e 2.4Ghz), mas não tive boas experiências com estes chassis no passado.

  • Entendendo o MR03:

Vamos dividir o carro em partes, para facilitar o entendimento de cada parte, e assim descobrir o que você realmente precisa e em que momento precisa.

Configurações de Chassi:

Montantes de motor: MM (mid mount), RM (rear mount), HM (high mount) e LM (low mount), Entre-Eixos: 86mm, 90mm, 94mm, 98mm, 102mm (distância do eixo dianteiro até o traseiro) e largura do chassi (N – Narrow e W – Wide)

O chassi do MR03 vem com um ou dois montantes em suas caixas, e depende do tipo de bolha que você escolheu. Vou dar alguns exemplos para entender a lógica destas siglas e combinações:

  • McLaren 12C, La Ferrari, Ferrari 458: Estas bolhas são 98mm W, e vêm com montante do tipo MM. Fora do carro vem também um montante RM para utilização com outras bolhas. O montante MM pode ser usado em 98mm ou 102mm, mudando a posição do T-plate. A frente do chassi vem com as peças Wide instaladas e Narrow fora do chassi para acomodar bolhas estreitas.
  • Ferrari 430, Ferrari 360 Modena, Subaru Impreza: Estas bolhas apresentam entre-eixos de 94mm, algumas W e outras N, então não podem usar o montante MM. Para isso vem montadas com o montante RM, que pode ser usado em bolhas de 86mm a 94mm de acordo com a posição do montante e do T-plate utilizado.
  • Mini Cooper, Vits, New Beetle, Golf R32: Estas bolhas são curtas (90mm de entre-eixos) e Narrow (estreitas) e não possuem espaço suficiente para utilização de um montante RM, portanto existe este montante especial (HM) para que o motor fique acima do eixo. Isso é uma desvantagem pois o CG fica muito alto.
  • Bolhas LeMans (Porsche, Honda, Mazda, protótipos em geral): Estes carros são largos, compridos  e baixos, portanto usam montantes LM e frente wide, na configuração 102mm de entre-eixos. Possuem a vantagem de um baixíssimo CG (dificilmente capotam), mas possuem desvantagens em curvas, pois o raio de curva mínima é maior.

02-09

  • Off Set:

Off Set é o termo usado para as diferentes rodas disponíveis para Mini-z. As rodas dianteiras possuem largura de 8mm, e as traseiras, 11mm. Os pneus acompanham estas medidas.

Os Off-sets são medidos em milímetros, então vamos tomar como exemplo um comparativo entre três bolhas:

Ferrari Enzo: (W) F+1N/R+3W – Usa o chassi na configuração Wide, com rodas +1 estreitas na frente e +3 largas na traseira.

McLaren F1: (W) F0N/R0W – Usa chassi na configuração Wide, com rodas 0 estreitas na frente e 0 largas na traseira.

Mini Cooper: (N) F0N/R0N – Usa chassi na configuração Narrow, com rodas 0 estreitas na frente e 0 estreitas na traseira.

Os Off-sets acompanham os folhetos ilustrativos das bolhas, mas nem sempre estão de fácil acesso. Pergunte a um amigo ou procure na internet sobre modelos que você não encontra disponível, ou adquira posteriomente um par de rodas de cada off-set (0, 1, 2 e 3, Narrow e Wide) para testar a melhor configuração em novas bolhas.

  • Eletrônica:

Temos dois padrões hoje: O ASF e o FHSS (Sports). A diferença na eletrônica está principalmente no número de FETs que eles possuem. FETs são os circuitos que estão presentes nas placas integradas responsáveis por amplificar o sinal recebido pelo transmissor e dosar a corrente do motor. Quanto mais FETs e melhores, mais corrente eles aguentam, e conseguentemente motores mais fortes.

02-10

Para o Sports, é seguro utilizar o motor original e o motor x-speedy da kyosho. O primeiro lote de Sports utilizou um FET de baixa qualidade, portanto se não tiver certeza que os FETs de seu sports são de modelo 3010, é seguro utilizar o motor PN70T (70 voltas), com relação limitada ao pinhão de 8 dentes. Mais pra frente falaremos sobre relação, e o que isso influencia na corrente que o motor consome.

Para o ASF, é seguro utilizar praticamente todos os motores do mercado.

Mantenha a placa limpa e muito cuidado ao trocar os motores para não causar curto-circuito com o carro ligado.

Não recomendo muita frequência na limpeza, pois a placa é cheia de fios bem finos, que podem danificar-se ao serem constantemente movidos.

  • Motores:

Existem hoje motores feitos pela Kyosho (original e X-speedy), PN Racing (nomeados pelo número de voltas do induzido) e Atomic (com dois diferentes formatos, o formato chamado 130, padrão, e o redondo).

02-11 02-12 02-13

Basicamente o que é necessário entender: O motor original tem 70 voltas (turns), e o X-speedy tem 50 voltas. Quanto menor o número de voltas, mais potente é o motor. Os fabricantes alteram outros componentes para alterar as características de motores, como diâmetro do comutador, composição das escovas, buchas e rolamentos, pressão das escovas e potência dos ímas da carcaça. Teste diferentes motores, e veja o que melhor lhe atende.

Em campeonatos mundiais promovidos pela PN na categoria Stock são utilizados os motores PN70T e PN50T, ambos com buchas no eixo, e não são permitidas quaisquer alterações. Os motores com rolamento apresentam desempenho superior, e também maior duração do pack, e podem ser usados em outras categorias.

  • Relação: 

O chassi original vem com um diferencial já instalado, com uma coroa de 44 dentes, e um pinhão pré-instalado de 6 dentes. Esta configuração básica é a que apresenta maior torque, portanto uma arrancada maior, e menor velocidade final. No kit original vem também pinhões de 7, 8 e 9 dentes, assim como os calços de motores necessários para fazer o correto “gear match”, ou casamento de engrenagens.

Observe abaixo a tabela de relações possíveis, publicada pela PN Racing, assim como os motores disponíveis.

02-14

Note que o Pitch padrão do Mini-z é o 0.5M (largura dos dentes), e há relações opcionais hoje em formatos pitch 64 e pitch 128.

Isso permite uma gama maior de relações para ser usada de acordo com o motor que você possui, e o tamanho da pista / quão travada ela é.

O que é importante: Para pistas com longas retas, relações mais longas são mais interessantes, pois te dão maior velocidade final. Pistas mais curtas requerem mais torque para acelerações após a curva, portanto uma relação mais curta pode ser mais interessante! Tudo depende da tocada do piloto, além do motor utilizado e do layout da pista.

Com essas informações em mente, você poderá acompanhar as discussões na pista e se inteirar melhor do setup básico que é permitido com o kit original de um kit MR03 Sports.

No próximo artigo começaremos a destrinchar as diferentes partes mecânicas do Mini-z, e começar os upgrades que fazem deste hobby um vício saudável e empolgante!

Abraço a todos, e até a próxima!

4 ideias sobre “Artigo 02 – Começando no Mini-z!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *